Dica de Leitura

Esta semana trazemos como sugestão o livro Caminho dos Essênios, escrito por Daniel Meurois e Anne Givaldan, publicado pela editora Conhecimento.

A belíssima estória contida neste livro nos é narrada dos pontos de vista de Miriam e Simão, dois dos discípulos de Jesus que viveram junto ao Mestre e estiveram junto a Ele em momentos de grande importância. Os relatos dos autores são muito profundos, uma vez que se tratam de memórias recuperadas por meio do acesso aos registros akashicos de suas vidas pregressas em viagens astrais.

Simão e Miriam viveram e foram criados na tradição dos essênios e nos contam em detalhes suas práticas e crenças, nas quais também foi criado Jesus em preparação para o cumprimento de sua missão no planeta Terra. Em emocionantes relatos, o livro nos põe em contato com a figura de Jesus, sua doçura e amor incomparáveis e também nos revela como Ele ensinava àqueles que o seguiam. O Caminho dos Essênios é leitura obrigatória para aqueles que querem se sentir mais próximos de Jesus, de seus ensinamentos, de seu Amor e também das tradições essênias, que foram fundamentais na vida do Cristo.

 

o_caminho_essenios

Anúncios

Viva a Primavera!

“Bons novos dias! Que felizes novos horizontes se abram diante de ti e que a luz do Despertar se abra juntamente com as portas do seu coração.” (M. Micaell)

É tempo de renascimento, o frio já vai indo e é hora de abrir as portas e janelas e deixar o sol entrar. É tempo de semear, cultivar os campos e fazer florir. Quanta beleza nós podemos espalhar! Nós somos este tempo, este tempo de renascimento, é bom retirar os excessos de folhas velhas, renovar com folhas verdes, vistosas.

spring-276014_960_720

A primavera trás esta reflexão e nos convida a cultivar virtudes, deixar de lado o que é feio, o que é egóico, o que é impuro, e deixar vir à tona o que temos de mais belo dentro de nós, expandir pelo mundo nossa beleza, em nossos atos, em nosso sentir, em nosso pensar. Um pensar e um sentir floridos, renovados, cheios de cores, cheios de pureza e alegria.

É tempo de nos alegrar com a boa nova!

Jesus já dizia em suas parábolas sobre a necessidade de todos nós cultivarmos o bem e de semearmos o amor. A parábola do semeador fala sobre a necessidade de semearmos em terra boa, adubada, pois daí a planta crescerá e dará bons frutos. E como estamos nos preparando internamente? Temos adubado nossa vinha interior? Temos nos conectado com a fonte? Nos preenchido com as boas energias? Se isso não ocorre, qual é a consequência? É a tristeza, a doença, a morte, a ansiedade, a raiva, a guerra. Porque uma árvore que não se torna viva e dá bons frutos, morre. Morre por não alimentar as raízes com a vida, e também é cortada e lançada ao fogo!

E como podemos nos preencher de vida? Como podemos nos conectar com energias que nos preencham de vitalidade e força, capazes de nos fazer fortes para enfrentar obstáculos, ventos e as tormentas do mal?

Uma das formas é nos conectarmos com a fonte através da oração, pois em Deus está o puro néctar da vida, está a sabedoria para iluminar nossas mentes para podemos resolver os desafios corriqueiros. E fazer como Jesus nos ensinou: adentrar a intimidade de nosso ser e sentindo cada palavra falamos ao pai:

Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja o vosso nome, venha nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como nos céus. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores, não nos deixeis cair em tentação e livrai- nos de todo mal, amém.

É tão simples, não necessita de nenhuma condição impossível para se conectar com o Pai. Ele é onipresente, onisciente e nos ouve a qualquer hora do dia. Ele é capaz de nos dar a graça de entrar em sua morada, em seu Reino de Paz.

Também nos é ensinado há milênios que a meditação é uma poderosa fonte de conexão e de vida. Ela é capaz de serenar nossos desejos do ego, imediatos e mesquinhos, e nos mostrar a pura verdade da vida, livre de ilusões. Meditar pode ser um caminho para iluminar nossa consciência, trazendo luz e clareza para nossos dias.

E como dizia Jesus, a maior forma de nos preencher de bonança e nos tornarmos inteiramente unos com a força de vida é amar. Amar é a lei universal. É pelo amor que tudo surge e cresce. É pelo amor que se faz a primavera. É pelo amor que a prosperidade e a abundância nos advêm. Jesus amava tanto que pode curar cegos, fazer andar coxos, multiplicar os pães, transformar água em vinho, com a força do poder do amor.

A maior de todas as flores é o amor. A maior de todas as flores é o perdão. O perdão é expressão viva de amor, expressão viva de que nada e nem ninguém pode ferir o que é divino. É a chance de renovarmos os caminhos, renascer e florescer em novo homem, ser novo, como um vinho novo. Não se põe vinho novo em vasilha de couro velho, já falava Jesus. Então que possamos nesta primavera ser novos. Amar e perdoar. O amor e o perdão são o pão de cada dia. É nossa necessidade diária, de nos perdoarmos e nos amarmos a cada dia e fazer como Jesus disse:

Vá e não peques mais!

Para que a paz esteja conosco e que o amor esteja entre nós! Que a primavera seja este convite para amar, para renascer e cultivar boas sementes.

“Ame, Ame e Ame! O Amor é sempre novo e belo, pois o Amor de hoje nunca é igual ao de ontem. Lembre-se que para um novo corpo não se levam as antigas vestimentas. Faz-se novas. Comece a tecê-las com os fios de seus pensamentos, no tear do seu coração. Sempre estarei com vocês. Amor, simples Amor.” (M. Micaell)

Venha conosco participar do Workshop: Viva a Primavera!

22195627_1731687953539308_7261644740942207609_n

Dica de Leitura

Esta semana trazemos uma obra de Chico Xavier, renomado autor espírita!

imagem

Obreiros da Vida Eterna relata o trabalho de André Luiz junto à Casa transitória de Fabiano. Casa de luz, próxima a crosta terrestre, que serve de passagem e de moradia para desencarnados e casa de estudos para encarnados durante seus desdobramentos. O grupo a que André Luiz se apresenta cuida dos desencarnes de amigos espirituais dedicados a obra de Deus na Terra. O livro mostra como o grupo auxiliou na transição desses amigos para o plano superior.

“Jesus, sendo meu,

Sou muito feliz,

Eu vou para o Céu

Meu lindo país… ”